Saltos do Petrohué e lago Todos los Santos

Esqueci de contar sobre dois outros lugares imperdíveis no Parque Nacional Vicente Pérez Rosales – os saltos do rio Petrohué e o lago Todos los Santos. Como já expliquei em outro post, alugamos um carro em Puerto Varas e, em um mesmo dia, fomos aos saltos do Petrohué, ao lago Todos los Santos e ao vulcão Osorno; a vantagem de começar pelos dois primeiros é que sobra mais tempo para aproveitar o vulcão (a principal atração do parque).

A estrada, como também já falei, é bem sinalizada e muito boa. A primeira parada são os saltos do rio Petrohué. Há estacionamento grátis no local, e para chegar aos saltos é preciso, primeiro, passar por um prédio muito bonito, com um projeto moderno, no qual há duas ou três lojinhas, uma cafeteria e uma espécie de agência de turismo que oferece atividades como rafting e passeios de barco. Deixando o prédio e cruzando uma pequena ponte, há a entrada propriamente dita: o valor do ingresso, por pessoa, é de CLP 1500 (o equivalente a R$ 7,50). Logo depois, à direita, há banheiros (grátis); para quem segue reto, em seguida há a indicação de dois “senderos” – ou seja, de duas trilhas: começamos pela trilha da esquerda e nos deparamos com as águas de cor verde-esmeralda dos saltos do rio Petrohué.

DSC_0215

DSC_0227

DSC_0229

As fotos não fazem jus à beleza desse lugar. A cor da água é lindíssima!

DSC_0241

Os saltos do rio Petrohué resultam do desague do lago Todos los Santos e correm sobre uma base de lava basáltica proveniente do vulcão Osorno, que pode ser visto a partir dali.

DSC_0203

Há passarelas que permitem ao visitante ver os saltos a partir de diferentes ângulos.

Como fazia sol nesse dia e estava até um pouco quente, tivemos o “prazer” de conhecer os tábanos, mosquitos gigantes que habitam a região entre o final de dezembro e o final de janeiro. Felizmente, avistamos apenas alguns e confirmamos algumas informações que tínhamos obtido previamente: eles adoram a cor preta e ficam próximos a rios e lagos. Pra quem for visitar a região nessa época e quiser saber mais sobre essa “praga”, recomendo ler o relato postado no blog Nerds Viajantes: http://www.nerdsviajantes.com/2013/01/06/verao-no-chile-cuidado-com-os-tabanos/.

Indo pelo sendero que leva ao sentido contrário, a paisagem é dominada pela mata; o rio prossegue, mas a parte mais bonita fica mesmo no lado oposto, onde há as quedas d’água. O melhor, então, é pegar, em primeiro lugar, a trilha da direita, que é a mais sem graça, pra deixar o que importa para o final.

Saindo dessa porção do parque e seguindo pelo mesmo caminho, chega-se ao lago Todos los Santos. O rio segue seu curso ao longo do caminho, que é muito bonito; é preciso enfrentar um trecho de estrada de chão que, apesar disso, se encontra em bom estado. Chegando ao lago, à esquerda, bem ao fundo, há um estacionamento grátis. Não se paga nada para visitar o lago.

DSC_0251

DSC_0253

O lago é azulado e a paisagem é muito bonita. É possível passear de barco pelo lago e ir até a Isla Margarita. Como estávamos com fome, já não era tão cedo e queríamos deixar bastante tempo disponível para o Osorno, não fizemos o passeio – ou seja, temos no mínimo um motivo pra voltar!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s