A passageira indica: Playa Ancón

Quando escrevi sobre Trinidad, cidadezinha no interior de Cuba, falei que uma visita à Playa Ancón é passeio obrigatório. A praia fica a 13 quilômetros de Trinidad e é considerada a melhor da costa sul cubana. E a parte mais importante: não é “infestada” de turistas.

DSC_0497

O horário em que as fotos foram tiradas não ajudou muito: não dá pra ver com clareza que a água é verde-azulada – super bonita e com uma temperatura agradável! Ao longo da área onde ficamos havia esse tipo de guarda-sol recoberto por palha (acho que esse negócio tem um nome específico, mas não sei dizer qual! hehe); como chegamos depois do meio-dia e não havia nenhum disponível, nos abrigamos embaixo das árvores que ficam à beira da areia.

DSC_0500

No dia em que fomos, havia bastante cubanos – e, claro, alguns turistas. Mas nada de atrolho ou de gritaria; o clima era super tranquilo.

Pra chegar até lá é fácil: nas ruas de Trinidad há diversos “táxis” que oferecem o serviço. Salvo engano, pagamos 5 CUC (o equivalente a U$S 5 – estávamos em 4 e esse era o preço total da corrida!). Os “taxistas” são, na verdade, pessoas que se colocam à disposição para fazer a corrida com seu próprio carro – geralmente, um carro beeem antigo. O nosso até tinha um adesivo escrito “táxi” grudado no vidro, mas acho que ele não era oficial. Os donos da casa onde ficamos também ofereceram o “serviço”, mas como achamos que eles estavam sendo “capitalistas” demais – parecia que eles só se importavam em nos vender os “extras” -, resolvemos ir para a rua e pegamos o primeiro que nos ofereceu o serviço.

Na verdade, quem nos ofereceu o serviço foi um senhorzinho; alguns minutos depois, apareceu o nosso motorista, a bordo do seu Chevrolet antigão azul. O carro era super bem conservado – e o motorista corria muito… Mas chegamos sãos e salvos!

DSC_0480

Para retornar à cidade, basta voltar ao ponto onde o taxista te deixou – há sempre um ou outro esperando por clientes.

Pelo que pesquisei, há um hotel em Playa Ancón, mas acho que o negócio é montar base em Trinidad e passar um dia na praia.

Pra terminar: não espere encontrar quiosques e vendedores ambulantes; portanto, leve um lanche, uma bebida e aproveite o dia! =)

A passageira indica: Trinidad

Hoje vou falar sobre um destino cubano que vale a visita: Trinidad, cidade situada na parte central da ilha. Todo turista que visita Trinidad sem dúvida escuta, mais cedo ou mais tarde, uma musiquinha que define a cidade: “Bienvenido a Trinidad, una ciudad colonial…”. Trata-se, de fato, de uma cidade colonial muito bem preservada, com ruas de paralelepípedo, casinhas coloridas e uma música irresistível, que se pode ouvir tanto na rua como em bares e restaurantes.

393

A cidade foi declarada patrimônio histórico da humanidade pela UNESCO e guarda vestígios da época de prosperidade trazida pelos engenhos de açúcar. Por se situar entre as montanhas e o mar, o visual é incrível. Aliás, a visita à praia de Ancón é obrigatória – e por isso mesmo merece um post próprio.

390

Como a cidade é pequena, sequer usamos mapa – o legal é sair caminhando sem rumo e se surpreender com as bonitas construções e com as simpáticas ruas de pedra. Nas nossas caminhadas, encontramos um bar/restaurante no qual, além de se comer bem (para os padrões cubanos), era possível ouvir, todas as noites, uma banda local bem estilosa e com um som maravilhoso, que misturava violino com instrumentos de percussão e tinha uma batida super contagiante! O nome do bar é “Taberna La Botija” – o nome da banda, infelizmente, vou ficar devendo (não lembro, embora tenha, inclusive, comprado um CD deles, hehehe), mas fica o registro:

396

DSC_0457

Vale acrescentar que as opções gastronômicas na cidade apresentavam, em geral, uma qualidade bastante superior àquela que encontramos em Havana. Recomendo o restaurante que fica ao lado das escadas da Plaza Mayor, bem em uma esquina – a comida é boa, o ambiente é charmoso e havia um casal que cantava/tocava muito bem.

Resumindo: Trinidad vale a visita. Além da praia, é possível visitar, também, o vale dos engenhos, mas como não fiz esse passeio não posso opinar. Ficamos 3 dias (ou dois dias e meio) e foi o suficiente. Quanto à hospedagem, a dica é procurar por casas particulares que oferecem quartos para estadia. Ficamos em uma casa situada muito perto da Plaza Mayor – a praça central – e que cobrava 25 CUC (ou algo como U$S 25) por noite + 5 CUC pelo café da manhã. Só não recomendo porque não gostamos muito dos nossos anfitriões e do café da manhã (ao contrário do que ocorreu em Havana), mas basta procurar por recomendações no site do Trip Advisor. A comunicação ocorre apenas por e-mail, e não se preocupe se eles demorarem alguns dias para retornar – acesso à internet não é algo muito fácil para eles.

Pra terminar: Trinidad fica a 314 km de Havana e é possível chegar até lá por meio de ônibus. Como se trata de um destino relativamente bastante procurado e como os ônibus não são diretos (param, pelo menos, em Cienfuegos, cidade próxima a Trinidad), a dica é comprar a passagem com uns dois dias de antecedência. A viagem dura cerca de 5/6 horas e os ônibus são confortáveis.